''Fechar-se não está com nada , as pessoas são sempre o que de melhor existe .''
(Caio F. Abreu)

domingo, 18 de abril de 2010

Uma garra de pelúcia


Olhos amendoados e palavras doces. Simples e forte. Digo que até morde, nem sempre. Diariamente. Não é o meu estilo essas histórias de ladrar e não morder. Falo, faço e mordo sim – quando necessário. Sou firme e delicada. Sei minhas horas, meus limites. Saber eu sei, difícil é usá-los no meu tempo – sou fora do comum. Vou além. Exagerar. Sou metade colorida, gritante e outra metade neutra, pálida. Sou frio, mas sempre quente. E melhor que isso, eu não imagino outras formas, cores e risos para mim. Por mais desilusões que aparecem em meu caminho, por mais decepções que são colocadas a minha frente como uma barreira sem fim. Eu saí e estou aqui, criando novos rumos e novas felicidades. Minhas e tuas. Tuas, homem um e oitenta. Homem de Dó-Lá-Si menor e o que for. Homem superego. Ou ego, muitas vezes. Homem quente, todo. Homem polvo, urso, gato. G-a-t-o. Homem leão. Leonino. Homem meu, mais do que isso. Homem razão. Minha razão. São risos soltos que tu transformas em concretos e diários, por mais difíceis que muitas vezes pareça arrancar um sorriso dessa minha face morena café-com-leite. Menina morena, riso contido em palavras, boca pequena e falante demais, pernas grossas pulantes de alegria, sou. Tudo e mais um pouco e nada quando me permito. Cozinho, passo roupas, leio livros, ouço músicas boas e também as dançantes, falo besteiras, bebo cerveja ou vodca, não fumo cigarros fedidos, não faço tipo, sou difícil e fácil. Sou e sou eu sem mais nem menos. Mulher para casar, casou. Mulher para amar, amou. Mulher para ser, é. Mulher para tantas coisas e menina ainda. Dezessete quase lá. Menina antiga, mulher moderna. Menina pintou o quarto de lilás com bonecas amarelas e tons cor de cosa. Mulher casou cedo, fez amor e ama o seu primeiro namorado – hoje esposo. Confuso e inteiramente apaixonante e tocante. Já foi linda, gostosa, criança, brinquedo e chiclete. Hoje, esposa. Tudo em tão pouco tempo. Vida. Uma vida diferente da modernidade, diferente no ponto de vista de muitos, não no meu. Diz ela que nasceu para doar, criar, passar e demonstrar amor para o mundo. Difícil missão. Cresceu para fazer mudanças, assustar com suas decisões sempre (bem) decididas. Livre com suas palavras e presa com o seu coração, assim feliz. Nasceu para companhia, paixão e sorrisos. É linda quando acorda, quando escova os dentes e até mesmo na hora de dormir. Beleza ela tem, vive dizendo que não. É mal-humorada e hiperativa ao dormir. É sexy, atraente e bem elegante. É simples, normal e quase sempre Maria, quando lava louças e limpa a casa. É mulher. E todas as mulheres são iguais em suas pequenas diferenças. São mulheres fortes e delicadas. Dedicadas. Não decifráveis e quase sempre difíceis. Mulher. Assim eu sou.

3 comentários:

elry disse...

adorei os trocadilhos que vc fez...
;*

Milena Góes @ disse...

Amei o blog, muito bom
www.candyspaceteen.blogspot.com

... disse...

Adorei o texto! E o blog está muito bom! :)

Related Posts with Thumbnails