''Fechar-se não está com nada , as pessoas são sempre o que de melhor existe .''
(Caio F. Abreu)

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Embriagada de esperança


"Your turn, you'd rather leave than live and learn
That’s why, you want an end and so do I
This time, I believe I’ll leave it all behind
Tongue tied from all the little things
And they're the reason that I scream"


O tempo cada vez mais mudo entre meus pensamentos. Indecisões, confusões e me vejo: sem saída. A porta se abre e me fecham os olhos, me tranco dentro desse mundo que eu mesma criei e me sento. Sem rumo. Forte e sem sentido me sinto a beira do abismo que eu imaginei – imagino. Criei e acredito. Distante das raízes, deixando de lado o porto e seguindo rumo ao mar. Enfim, espero não me perder, afundar ou quem sabe sumir. Ou espero. E mesmo que isso me traga tristezas e profundas mágoas de mim mesma, digo: preciso. E acredito que ainda existirá alguém que entenderá os meus apelos, ouçam. Confiem em mim! Ou, que eu confie em mim!
O que eu quero é tanto, é demais perto de tudo que eu sinto e tenho aqui dentro desse coração - desse sentimento, que aos poucos está crescendo. Conforme ando, vivo, existo e sinto aumenta a minha necessidade de mais. Aumenta a minha vontade. Aumenta o que eu sou e me transformo em algo nostálgico. Com falta. Em falta. E mesmo que as horas passem; que os movimentos acabem e que eu, dos meus sonhos acorde, vou acreditar que posso ter em mim todo esse sentimento de nada que encoleriza o meu ser. Estou distante e naufragando a espera de algo que solte e acabe com tudo isso aqui dentro.
Os dias de frio que faz aqui no Sul corta minha boca, arde minha garganta, porém aquece minha alma. Com os olhos que vejo e nos olhos esperança, me aquece a alma. Enche os dias feitos de gelo; de sonhos. Vou indo, quente congelando nos dias de sol e de chuva que iluminar e inundam a paz que existe em mim. Só assim, nas ribeiras dos meus devaneios vou sendo e acreditando cada dia mais na felicidade. Por mais nostálgico que hoje pareça os meus dias; por mais que a saudade me tome, eu bebo esperança.
Vou levando o meu caminho. Meio as beiradas, meio as doidas e as metades. Completando as faltas com sonhos e o tempo à solta de verbos intransitivos. Vou sendo o que eu posso e completando a mim mesma em gotas de esperança divida com sossego. Um gole de vinho tinto e seco para embriagar e não pensar ou um uísque quente para queimar e não sentir? Nada, vou ficando à seca. Vou beber os pensamentos e minha ressaca serão os escritos. Serão as palavras que invadem e se soltam de mim, em gritos insistentes.

11 comentários:

Camila Roos disse...

uau, ótimo texto :D

Alex Vitor disse...

Muito show seu blog..
vc escreve muito bem..
Parabéns..
Te seguindoOo..
Bjaum...

Daniel Possari - Zâmbia disse...

Você escreve de maneira cativante! Adorei o blog! Li algumas outras postagens também e parabéns! Fiquei feliz que você viu o meu também! Hahahahaha... Fica na paz! =*

Emi disse...

Adorei esse texto. O título em si já me atraiu, e quando eu comecei a ler, me vi em cada palavra!
Lindo blog! Parabéns!
Seguindo ;)
Beijos!

Risinha disse...

Temos que beber espranças todos os dias, independente do que nos aconteça, tudo é para um bem maior na vida.

Bejuuss

Paulo Dionísio disse...

Adorei querida. Ainda mais essa parte: Por mais nostálgico que hoje pareça os meus dias; por mais que a saudade me tome, eu bebo esperança.



Beijos.

kilomboregional disse...

Vontade desenfreada de continuar lendo
seus textos!
Conteúdo agudo...
puts rsrsr..
vlw Tassyane bjss

E.Suruba disse...

ficou tão lndo!
vc leva jeito com as palavras! seguindo aqui

Leo disse...

e vamos beber da esperança...

Martha Dias. disse...

Oi, acho lindos seus poemas e pensamentos.. coloco simm os creditos!pode deixar ;*

Amanda Amancio disse...

Lindas palavras!

Reflete o que você sente com emoção!

Parabéns!
Beijos

Related Posts with Thumbnails